/Crítica | Obsessão é um suspense honesto e pouco memorável

Crítica | Obsessão é um suspense honesto e pouco memorável

Compartilhe

Crítica | Obsessão é um suspense honesto e pouco memorável
4.9 (98.75%) 16 votes

Há quase dez anos sem lançar nenhum filme, o diretor irlandês, Neil Jordan (Entrevista Com Um Vampiro) nos traz um novo e clichê filme de suspense. Obsessão é um thriller protagonizado por Isabelle Huppert (Elle) e Chloë Grace Moretz (Se Eu Ficar).

A jovem garçonete Frances (Moretz) devolve uma bolsa esquecida no trem à sua dona, Greta (Huppert), uma viúva aparentemente dócil com a qual inicia uma breve amizade. Breve pois Frances, é convidada à casa da nova amiga e acaba descobrindo um armário cheio de bolsas idênticas à qual devolveu antes, com números e nomes anotados em cada uma delas. Desde então, fica claro que Greta não é exatamente uma mulher normal, e Frances decide se afastar dela. Greta, inconformada com a decisão da nova amiga, passará a persegui-la seja aonde for, revelando ser alguém completamente diferente da pessoa amigável de antes.

Para tentar contornar essa premissa de Thriller comum, o diretor tenta fugir do estereótipo de casais e aqui insere duas figuras femininas e mistura sentimentos de possessão e amor materno. Uma relação neurótica. Tudo isso soma e acaba prendendo a atenção do espectador.

A partir do segundo ato, vemos como as personagens irão lidar com tal distanciamento. O filme começa a tomar formatos daqueles thriller genérico de perseguição. Greta vira aqueles vilões desfocados, vistos totalmente parados do outro lado da rua ou até mesmo possuindo supervelocidade e invisibilidade. O momento de ameaça da personagem de Huppert perseguindo Erica (Maika Monroe), amiga da Frances, pela cidade de Manhattan. Cenas menos esperada, quando Greta cospe um chiclete nos cabelos de Frances. A decisão de manter a vilã com um tom misterioso seja um dos pontos altos de filmes do gênero, em Obsessão só serve apenas para justificar a falta de sentido da personagem. Não se tem a explicação necessária para entender as razões da Greta. Ela acaba se tornando a mulher que só é malvada.

O único ponto realmente marcante acaba sendo a atuação de Isabelle Huppert. Já Chloë Grace Moretz entrega uma atuação regular, sempre correspondendo às expectativas. O elenco conta ainda Maika Monroe (Corrente do mal) como Erika, que funciona bem quando serve de apoio no desenvolvimento da protagonista, ganhando uma importância no final do filme.

Obsessão  cumpre o papel de segurar a atenção na maioria das cenas de suspense, e ainda se levarmos em conta a atuação das protagonistas que estão boas nesses papéis, o filme se torna algo legal, mas que infelizmente possui alguns erros que acabam sendo comuns em thrillers assim. Mostrando ser o suficiente para atrair pessoas ao cinema, mas passa bem longe de ser um filme memorável.

O filme já está em cartaz nos cinemas nacionais


Compartilhe

Amante da sétima arte. A garota levemente viciada em séries. Estudante de Jornalismo. Série favorita: Game of Thrones/ Penny Dreadful/ This is Us ( não consigo escolher). Série que nunca vi: The Walking Dead. Série que tenho vontade de assistir e ainda não tive a oportunidade: Freaks and Geeks.