Pular para o conteúdo

Uma Jornada à Memória: Análise de Another Code: Recollection

Uma Jornada à Memória: Análise de Another Code: Recollection
Avalie este artigo

Review de Another Code: Recollection – Uma Jornada pela Memória

Another Code: Recollection é um jogo que foi resgatado do catálogo do Nintendo DS e Wii para ganhar uma nova chance no Nintendo Switch. Este remake traz dois jogos em um, reunindo Another Code: Two Memories (conhecido como Trace Memory na América do Norte) e Another Code R: A Journey Into Lost Memories.

A história de Another Code: Recollection acompanha a protagonista Ashley Mizuki Robins, uma jovem que está em um barco a caminho da Ilha Blood Edward com sua tia Jessica. A mãe de Ashley faleceu quando ela era jovem, e desde então ela e seu pai estão distantes. Pouco antes do seu aniversário de 14 anos, o pai de Ashley envia para ela um dispositivo misterioso chamado DAS, junto com um convite para encontrá-lo na ilha. Ao chegar lá, Jessica desaparece, fazendo com que Ashley procure por ela e por seu pai em meio aos terrenos de uma mansão abandonada. É nesse lugar que Ashley conhece o fantasma de um menino chamado D, e juntos eles precisam resolver dois mistérios relacionados às suas memórias perdidas.

O gameplay de Another Code: Recollection consiste em aventuras de apontar e clicar. O primeiro jogo se assemelha ao Resident Evil original, mas sem monstros ou combates. O que resta são quebra-cabeças para desbloquear áreas novas na mansão repleta de mistérios. Conforme os jogadores avançam, eles têm uma visão mais completa dos eventos que envolvem as mortes da mãe de Ashley e de D. Muitos dos quebra-cabeças do jogo envolvem o uso do DAS, que se assemelha a um Nintendo Switch. O DAS possui várias funcionalidades, como tirar fotografias, ler biografias de personagens e interagir com um dispositivo chamado Another.

Leia Agora  "Childish Gambino: A Balança Entre Ator e Músico"

Os quebra-cabeças de Another Code: Recollection são uma mistura de acertos e erros. Embora eu nunca tenha jogado Trace Memory ou sua sequência, a Nintendo aparentemente fez algumas grandes mudanças nos quebra-cabeças presentes em ambos os jogos. Alguns deles são intuitivos o suficiente, enquanto outros poderiam oferecer mais contexto. Por exemplo, um quebra-cabeça exige que os jogadores tirem duas fotografias usando o DAS e usem a função de sobreposição para combiná-las. No entanto, o jogo não revela que essa é uma função disponível, e acabei frustrantemente tentando resolver um quebra-cabeça da maneira específica que o jogo queria, mesmo sabendo qual era a solução real. Muitos jogos de apontar e clicar sofrem com problemas semelhantes, mas isso não torna menos frustrante quando acontece.

O tema central que conecta os dois jogos em Another Code: Recollection é o impacto da memória. As lembranças de Ashley sobre a morte de sua mãe são confusas; ela testemunhou o assassinato de Sayoko Robins, mas Ashley tinha apenas três anos de idade na época. Enquanto isso, a memória de D sobre sua própria morte se perdeu ao longo dos anos. Conforme o jogo avança, Ashley descobre que ambos os pais estavam trabalhando em um dispositivo chamado Another, que tinha a capacidade de apagar memórias prejudiciais e até substituí-las. Seus pais viam isso como uma forma de ajudar pessoas que sofriam de traumas, mas outros parecem estar interessados no dispositivo por motivos mais sinistros.

O enredo é o maior destaque de Another Code: Recollection. A violência em si é mínima, mas os jogos lidam com temas como transtorno de estresse pós-traumático, abandono e assassinato. É um pouco mais intenso do que os jogos comuns da Nintendo, e acompanhar a jornada de Ashley ao longo dos dois jogos é cativante. Ambos os jogos são apresentados como um só, permitindo que os jogadores mergulhem em A Journey Into Lost Memories imediatamente após o término do primeiro jogo. Dois anos se passam entre os dois títulos, dando aos jogadores a chance de ver Ashley mais velha e como as coisas mudaram desde o jogo anterior.

Leia Agora  Quinta Brunson e Bowen Yang, ícones da comédia, entram para o elenco do remake de 'Cat in the Hat'

Apesar de terem sido originalmente lançados em plataformas diferentes, os remakes desses dois jogos são apresentados no mesmo estilo, com os mesmos controles e até mesmo o mesmo arquivo de salvamento. Another Code: Recollection poderia ter parecido uma combinação desconexa de dois jogos de sistemas muito diferentes, mas os novos jogadores podem nem mesmo perceber que eles têm origens distintas. Grande parte disso pode ser atribuída à apresentação. Não é uma maravilha técnica no nível de The Legend of Zelda: Tears of the Kingdom, mas os personagens e ambientes são agradáveis o suficiente, e a música é agradável durante toda a experiência.

Another Code: Recollection é uma adição bem-vinda à biblioteca do Nintendo Switch. Os quebra-cabeças podem ser frustrantes às vezes, e a jogabilidade pode não agradar a todos; eu altamente recomendo que aqueles que estão indecisos experimentem a demo gratuita do jogo. Apesar dessas falhas, a história e os personagens tornam a compra valiosa para os fãs do gênero. É ótimo ver a Nintendo dando a esses jogos incomuns esse tipo de tratamento, em vez de deixá-los abandonados em seus consoles originais.

Classificação: 3.5 de 5

Another Code: Recollection está programado para ser lançado em 19 de janeiro, exclusivamente para o Nintendo Switch. Um código foi fornecido pelo editor para análise, e o jogo foi testado em um Nintendo Switch OLED.