Pular para o conteúdo

Stanley Kubrick teve papel crucial e secreto em filme de James Bond

Stanley Kubrick teve papel crucial e secreto em filme de James Bond
Avalie este artigo

O aclamado diretor Stanley Kubrick foi abordado para a possibilidade de dirigir o filme “The Spy Who Loved Me” (O Espião Que Me Amava, em tradução livre), que fazia parte da franquia do agente 007. O convite foi feito pelo produtor Albert R. Broccoli, porém, Kubrick recusou a proposta.

“The Spy Who Loved Me” foi lançado em 1977 e é o décimo filme da série James Bond. Dirigido por Lewis Gilbert, o filme é estrelado por Roger Moore no papel de James Bond, o famoso agente secreto britânico. A produção conta a história de Bond enquanto ele luta contra um magnata do petróleo que planeja iniciar uma guerra nuclear.

A recusa de Stanley Kubrick em dirigir o filme foi revelada por Michael Deeley, que trabalhou como produtor executivo no longa-metragem. Kubrick, conhecido por seu estilo particular e meticuloso de direção, optou por não assumir o projeto, provavelmente por não se adequar à sua visão artística.

Mesmo sem Stanley Kubrick, “The Spy Who Loved Me” foi um sucesso de público e crítica, arrecadando mais de $185 milhões de dólares em todo o mundo. O filme foi elogiado por sua ação emocionante, cenas de perseguição empolgantes e inovações técnicas, como a icônica cena submarina.

Atualmente, Stanley Kubrick é considerado um dos maiores diretores da história do cinema. Seu trabalho inclui filmes icônicos como “2001: Uma Odisseia no Espaço”, “Laranja Mecânica” e “O Iluminado”. Kubrick era conhecido por sua abordagem meticulosa e perfeccionista, à procura da excelência em todos os aspectos de sua produção. Sua recusa de dirigir “The Spy Who Loved Me” é apenas exemplo de sua visão única e compromisso com sua própria visão artística.

Leia Agora  Adolescentes são acusados de série fatal de tiros em comemoração do Super Bowl em Kansas City - Atualização