Pular para o conteúdo

Showrunner de The Boys responde críticos que acusam série de ser ‘politizada’

Showrunner de The Boys responde críticos que acusam série de ser 'politizada'
Avalie este artigo

O criador de “The Boys”, Eric Kripke, tem um conselho simples para aqueles que acusam a série de quadrinhos de ser “woke” por abordar questões sociais e políticas do mundo real. Enquanto a série se prepara para lançar sua quarta temporada, que promete ser ainda mais sangrenta, caótica e ofensiva do que nunca antes, Kripke aborda diretamente os comentários feitos nas redes sociais sobre o programa.

Para aqueles que não estão familiarizados com o termo, “woke” é uma expressão usada para descrever alguém que está consciente e engajado em questões sociais, especialmente durante discussões sobre racismo, igualdade de gênero e justiça social. No contexto da série “The Boys”, algumas pessoas têm criticado a abordagem da trama sobre esses temas, alegando que ela está se tornando excessivamente política ou preocupada em transmitir mensagens sociais.

No entanto, Kripke parece estar indiferente às críticas e oferece um conselho simples para aqueles que estão reclamando: “Ouça, nunca planejei isso. Acordei um dia e pensei: ‘Você sabe o que seria muito divertido? Vamos irritar algumas pessoas por aí e vamos, como, arruinar a vida delas, tipo, indo contra suas opiniões'”, disse o showrunner com ironia.

O criador de “The Boys” continua explicando que seu objetivo sempre foi contar histórias interessantes e envolventes que fizessem as pessoas refletirem sobre temas relevantes. Ele queria criar uma série que fosse provocativa e desafiadora, mas também divertida. Kripke afirma que não está tentando ser politicamente correto ou dar sermões, mas sim abordar questões sociais de uma forma única e intrigante.

Leia Agora  Demônio vingador: Tanjiro recebe recompensa doce na 4ª temporada de Demon Slayer

“Acho que tantas histórias de super-heróis vêm mostrando os mesmos arquétipos de personagens há décadas. (…) Então, pessoalmente, eu estou cansado disso. E eu acho que tem muita gente que também está cansada disso”, comenta Kripke. Ele acredita que “The Boys” traz uma perspectiva interessante ao gênero de super-heróis, explorando como as pessoas com poderes podem ser corrompidas e como isso se relaciona com as questões sociais do mundo real.

A série “The Boys” é baseada nos quadrinhos de mesmo nome criados por Garth Ennis e Darick Robertson. Ambientada em um universo onde super-heróis são celebridades adoradas pelo público, a trama segue um grupo de vigilantes que busca expor a verdade por trás da imagem heroica dos super-heróis. Com uma abordagem desafiadora e cenas de ação violentas, a série se destaca por sua sátira social e política.

Apesar das críticas de alguns espectadores, “The Boys” tem sido um grande sucesso e se tornou um fenômeno popular desde sua estreia em 2019. Sua quarta temporada está programada para ser lançada em breve, e os fãs podem esperar mais reviravoltas, suspense e críticas sociais afiadas.

Em última análise, “The Boys” continua sendo uma série que desafia as convenções tradicionais dos super-heróis, trazendo uma perspectiva única e estimulante para o gênero. Kripke, o showrunner, não se importa com as críticas de que a série é “woke”, preferindo focar em contar histórias interessantes e provocativas. Para ele, o objetivo é fazer as pessoas refletirem e se divertirem enquanto assistem à série.