/CRÍTICA | ‘O Candidato Honesto 2’ provoca ao falar sobre atual política brasileira, mas tem final previsível

CRÍTICA | ‘O Candidato Honesto 2’ provoca ao falar sobre atual política brasileira, mas tem final previsível

Compartilhe

Quantas estrelas merece esse texto?

Estreando dia 30 de agosto nos cinemas, ‘O Candidato Honesto 2’ traz um humor de maneira bastante irônica quanto aos atuais eventos políticos do país. Apesar de ser um filme de comédia, fala de maneira clara sobre os atuais problemas políticos do Brasil, mas acaba a história de um modo previsível.

O filme parte do momento em que João Ernesto sai da prisão e tem uma nova chance de ‘recomeço’ na política. Sua chance, porém, é dada pelo personagem que é uma sátira ao atual presidente da República Michel Temer, não somente pela semelhança física, mas também pela maneira política em que é mostrado.

Parte do bom humor do filme é construído ao redor de personagens como este, como é o caso também de João Rebento, personagem criado em uma clara alusão ao atual candidato à presidência Jair Bolsonaro. Ex-presidiário e ainda com seu ‘problema’ em não consegui mentir, Leandro Hassum dá vida de uma ótima maneira ao jeito cômico de seu personagem em cima disso.

O ponto fraco do filme ficou por parte do enredo da personagem Amanda, que além da mudança de atriz, teve parte do plot final bastante previsível, o que não parecia intenção do cineasta que o desenvolveu. Pelo modo em que tal ponto da história foi contado, o final devia surpreender, mas desde a primeira cena sobre o assunto ele acaba ficando claro e estraga a surpresa final.

Outro problema do filme está está no excesso de piadas que poderiam não ter sido contadas e momentos que pouco fizeram diferença para a história, como é o caso das cenas entre Ernesto e sua ex-mulher, além dos comentários do personagem quanto a sua intimidade em seu tempo de prisão e quanto às minorias em seu cenário legislativo brasileiro, representado por uma mulher negra, anã e lésbica.

Apesar de falar bem sobre os atuais eventos políticos do país, como era de se esperar, o filme torna-se apartidário e termina de um modo previsível, mas não deixa de ser uma ótima obra de humor, com uma boa crítica ao atual cenário político, ótimas piadas e outra excelente atuação de Leandro Hassum.


Compartilhe