/CRÍTICA: Aquaman – Até que enfim DC! Até que enfim!

CRÍTICA: Aquaman – Até que enfim DC! Até que enfim!

Compartilhe

Quantas estrelas merece esse texto?

Sabemos que a DC tem ótimos heróis e excelentes histórias, mas com o Aquaman eles teriam certos problemas. O primeiro era a desconfiança do público devido a filmes anteriores, que não agradaram tanto. E segundo, a imagem do Rei de Atlântida, que muita gente se lembra da que foi criada para o Super Amigos.

 

O grande desafio era mostrar para todos o quão interessante Aquaman é. E eles conseguiram.

 

Estrelado por Jason Momoa, a narrativa é bem simples. Arthur Curry tem que se opor ao seu meio irmão, que quer travar uma guerra com os habitantes da superfície. Para isso Arthur precisa relutar consigo mesmo, para se ver como rei. A história lembra um pouco “Thor” e “Pantera Negra“. A diferença maior que o mestiço é o principal desse longa.

 

Apesar da simplicidade e de que em certos momentos se torna algo bem previsível, o filme consegue ser empolgante. Uma aventura a DC e o personagem estavam precisando.

 

Dirigido por James Wan, o mesmo diretor de “Jogos Mortais“, “Invocação do Mal” e “Sobrenatural”. Provou mais uma vez, assim como em “Velozes e Furiosos 7“, que não faz apenas terror.

 

Um dos pontos positivos é a ação. Muito bem filmada, trazendo algumas tomadas que fazem o espectador viajar por toda a cena. Além de saber utilizar muito bem o cenário, conseguindo usar elementos dos mais diversos ambientes que o filme mostra. Seja num barco ou no deserto ou numa cidade ou debaixo d’água.

 

Outro destaque é o visual. Sai o tom sombrio trazido por Snyder no começo do universo DC nos cinemas e entra algo mais colorido, mais vivo. Você sabe que tem muita coisa que é computação gráfica, mas é algo que preenche a tela, tão bonito de se ver.

 

Uma característica que Wan também traz em seus filmes de terror são seus monstros, bem produzidos. Aqui ele traz as mais diversas criaturas marinhas e animais aquáticos, fazendo com nossos olhos se encham com o que está acontecendo em tela.

 

Momoa, traz um herói que é fechado em si mesmo, badass, que não demonstra seus sentimentos, mas que resolve tudo com sua força. Amber Heard, interpretado Mera, faz uma boa parceria com o herói. Apesar de que, como par romântico, deixa um pouco a desejar. Mas isso não é nada que consiga te tirar do filme.

 

Aquaman,  que chegou para ficar de vez na cultura pop, mostra para todos que a DC respira. Quando encaixa tudo no lugar certo, podemos ver os bons frutos. Não sabemos como será esse universo a partir de agora, mas se tirar por base esse filme, será promissor.


Compartilhe

Professor por profissão, mas estudante da vida. Apaixonado por cinema.