Pular para o conteúdo

As 10 melhores obras de Jacques Rivette, classificadas

As 10 melhores obras de Jacques Rivette, classificadas
Avalie este artigo

Os 10 Melhores Filmes de Jacques Rivette, Classificados

Jacques Rivette, um dos diretores mais proeminentes da Nouvelle Vague francesa, era conhecido por sua abordagem experimental, surrealista e naturalista na narrativa. Ele também foi um dos diretores mais prolíficos e cativantes da Nouvelle Vague francesa – desde sua estreia como diretor em 1961 com “Paris Pertence a Nós”, o mestre do suspense lentamente construiu uma carreira lendária, estabelecendo-se como um dos cineastas mais memoráveis da França. De acordo com o adorado diretor Jean-Luc Godard, parecia que Rivette tinha “acesso privilegiado à verdade cinematográfica”.

Aqui estão os melhores filmes de Jacques Rivette, desde as obras surrealistas como “Duelle” até os dramas naturalistas como “Out 1”:

1. “Celine e Julie Vão de Barco” (1974) – Esse filme é uma viagem mágica e misteriosa através das vidas das protagonistas, que se aventuram em uma casa assombrada onde o tempo e a realidade se misturam.

2. “O Sol enganador” (1994) – Uma história de mistério envolvendo um escritor desaparecido, onde a linha entre ficção e realidade fica turva.

3. “Out 1” (1971) – Uma obra épica que explora o mundo do teatro experimental e a busca por uma peça perdida, levando os personagens a desvendar segredos e conspirações.

4. “A Ponte das Artes” (2004) – Dois artistas exploram a relação entre música, teatro e amor em Paris, em uma narrativa não linear e cheia de metáforas visuais.

5. “Agradeçam a Deus que Eu Sou Uma Mulher” (1976) – Uma atriz vive entre os papéis que interpreta e sua vida pessoal, em uma reflexão sobre a identidade feminina.

Leia Agora  25 momentos hilários de 'Family Guy' nos seus primeiros 25 anos (VÍDEO)

6. “A Bela Intrigante” (1991) – Um drama histórico baseado na peça de teatro de Jean Racine, que retrata a rivalidade entre duas mulheres em uma corte real.

7. “Duelle” (1976) – Um conto de fadas moderno que se passa nas ruas de Paris, onde duas deusas competem pela posse de uma pedra preciosa.

8. “Viva a Vida” (1967) – Um filme que mergulha nas vidas e nos relacionamentos de uma trupe de teatro itinerante, explorando temas como o amor e a arte.

9. “O Amor Louco” (1969) – Um drama familiar complexo que gira em torno de um triângulo amoroso, com performances excepcionais de Jean-Pierre Kalfon e Bulle Ogier.

10. “O Bandido das Duas Passagens” (1985) – Baseado em uma história real, o filme segue um bandido que conquista uma cidade e seus habitantes, questionando os limites entre o bem e o mal.

Esses filmes representam a versatilidade e a genialidade de Jacques Rivette, que redefiniu o cinema com sua abordagem única e inovadora. Seus trabalhos continuam a fascinar e encantar o público até hoje, e ele é verdadeiramente um dos maiores diretores da história do cinema francês.