Pular para o conteúdo

Visão original da Força de George Lucas é abandonada em Star Wars: The Clone Wars

Visão original da Força de George Lucas é abandonada em Star Wars: The Clone Wars
Avalie este artigo

A série animada Star Wars: The Clone Wars abandonou a visão original de George Lucas sobre a Força

George Lucas, o criador da saga Star Wars, trabalhou na série animada Star Wars: The Clone Wars, mas um arco específico da trama pode ter ido contra sua visão original sobre os lados luminoso e sombrio da Força. A série foi supervisionada por Lucas e explora diversos temas pelos quais ele tinha grande interesse. Um deles é a Força e suas facetas, principalmente durante um período de guerra como o cronograma das Guerras Clônicas. O arco de Mortis, presente em Star Wars: The Clone Wars, explora essa temática de forma mais aprofundada do que qualquer outro episódio.

No arco de Mortis, Star Wars: The Clone Wars apresenta uma nova visão sobre os lados claro e escuro da Força, o que vai de encontro à visão original de George Lucas. Nesse arco, personagens são levados a um plano místico, onde encontram um trio divino que personifica a Força em diferentes formas. Esses seres, conhecidos como Pai, Filho e Filha, representam o equilíbrio e o desequilíbrio da Força. O Pai, que é neutro, busca manter o equilíbrio entre o lado luminoso e o lado sombrio, enquanto o Filho é um ser sombrio e a Filha é um ser luminoso.

Essa abordagem difere da concepção original de George Lucas, que apresentou a Força como um conceito mais abstrato. Segundo Lucas, a Força representava um fluxo de energia cósmica que fluía através de tudo e todos no universo. Ela não possuía um polo positivo ou negativo, mas era influenciada pelas ações e escolhas dos indivíduos. A visão de Lucas era de que a Força não poderia ser controlada ou manipulada, mas sim fluía naturalmente e estava presente em todos os seres vivos.

Leia Agora  Yuji recebeu todos os power-ups necessários para derrotar Sukuna em Jujutsu Kaisen

No entanto, o arco de Mortis em Star Wars: The Clone Wars parece sugerir uma interpretação mais dualística da Força, dividindo-a explicitamente entre o lado luminoso e o lado sombrio. Essa abordagem pode ser considerada uma divergência da visão original de Lucas, que preferia deixar a natureza da Força mais aberta à interpretação dos espectadores.

Apesar dessa diferença, é importante ressaltar que George Lucas esteve envolvido na produção de Star Wars: The Clone Wars e, portanto, a inclusão do arco de Mortis na série pode ter sido uma escolha intencional do próprio criador. Lucas sempre mostrou interesse em expandir o universo de Star Wars, permitindo que outros contadores de histórias explorassem novos aspectos da saga.

Independentemente dessa polêmica em relação à visão original, o arco de Mortis em Star Wars: The Clone Wars certamente trouxe uma abordagem única e fascinante para a mitologia da Força. Através das histórias de Anakin Skywalker, Obi-Wan Kenobi e Ahsoka Tano, fomos apresentados a um mundo místico e complexo que colocou em questão as noções tradicionais sobre a Força.

No final das contas, o debate sobre a visão da Força em Star Wars sempre existirá. O importante é reconhecer que a saga é rica em possibilidades e interpretações, e cada nova adição, como o arco de Mortis em Star Wars: The Clone Wars, contribui para enriquecer ainda mais o universo criado por George Lucas. Que a Força esteja conosco!