/“The Now Now”: um Gorillaz mais “swag” e com as baterias recarregadas

“The Now Now”: um Gorillaz mais “swag” e com as baterias recarregadas

Compartilhe

Quantas estrelas merece esse texto?

Um ano após o contestado Humanz, que dividiu muitas opiniões, o Gorillaz mostra suas caras mais uma vez com um novíssimo disco, que tem um caminho completamente diferente do seu antecessor: o The Now Now. Se você espera as típicas batidas “pesadas” e genéricas de hip hop tão marcantes de uma das bandas mais inovadoras do século, pode ir tirando o cavalinho da chuva.

Não, nada de hip hop, com líricas rápidas ou algo do tipo. The Now Now traz a mesa um Gorillaz de bateria nova, com uma cara mais dançante e gostosa de se escutar. As comparações ao excelente The Fall, lançado em 2010, apenas nove meses após o lançamento do sucesso Plastic Beach, são muito válidas, exatamente por ser um álbum como uma pegada até lo-fi (só que mais swag), que saiu do forno pouco tempo depois do considerado “main album“, que, nesse caso, é o Humanz. Mas as comparações não param aí. Assim como o The Fall, o The Now Now também faz uma viagem pelos Estados Unidos, com a presença das faixas “Idaho”“Kansas” “Hollywood”, que mantém relação com diversas faixas do álbum de 2010, como “Phoner To Arizona”“Detroit” “Bobby In Phoenix”.

Dois dos maiores problemas do Humanz foram, sem sombra de dúvidas, a quantidade de participações dos mais diversos estilos de artistas, que acabou deixando o Gorillaz até como coadjuvante durante quase todo o álbum, não sabendo utilizar tais artistas, e o tamanho do disco, pois vamos concordar que 25 faixas, contanto interludes intro, que somam mais de 1 hora e 5 minutos de álbum, não é nada agradável, nem ao maior fã.

Em contra-partida, o novo trabalho de 2D, Murdoc (que está na prisão), Noodle e Russell conserta completamente tais tropeços cometidos pelo seu antecessor. Com apenas 11 faixas, o disco traz apenas três participações de outros artistas. A lenda do Jazz George Benson é dono de um riff gostoso e bem smooth em “Humility”, primeiro single e faixa do álbum, enquanto Jamie Principle, que já havia participado na faixa “Sex Murder Party” no último disco, e Snoop Dogg, grande amigo de Damon Albarn, fazem um trio com Albarn em “Hollywood”. Enquanto que o Humanz teve 21 participações, o The Now Now traz apenas três “ajudantes”, depositando o destaque no trabalho de Damon Albarn e da banda inteira.

Se você procura um álbum com uma vibe mais gostosa, tranquila e dançante, o The Now Now é o disco perfeito para tal. Desde faixas mais animadas, como “Humility“Tranz” “Hollywood”, passando pela maravilhosa “Lake Zurich” e a vibe de viagem de “Idaho”, chegando até a parte mais calma e tranquila, como em “Fire Flies” e “Souk Eye”. O álbum é muito bem montado, conseguindo lhe deixar ligado a ele durante todo o momento. Repito: esqueça os trabalhos mais “pesados”, com riffs pesados e batidas genéricas de hip hop, e foque totalmente na vibe que o The Now Now tem a proporcionar, pois é uma nova experiência e caminho seguido pelo Gorillaz.

A banda segue evoluindo e vai continuar para sempre evoluindo. É o processo natural de qualquer grande banda, ainda mais uma que não tem um estilo próprio e sempre testa seus produtos. Damon Albarn chega ao seu ponto máximo de criatividade com esse álbum, mostrando que sabe se renovar sempre. A espera é que o Gorillaz continue produzindo e mudando, pois a banda sempre se comportou desta forma e não vai mudar agora. The Now Now conserta erros do seu antecessor e traz um estilo para todos os gostos.

Faixas favoritas: Sorcerez; Lake Zurich; Humility

Nota: 4 de 5 estrelas.


Compartilhe