Pular para o conteúdo

Stephen King se arrependeu (e ficou um pouco com inveja) do final do filme “The Mist”

Stephen King se arrependeu (e ficou um pouco com inveja) do final do filme "The Mist"
Avalie este artigo

Stephen King pode não ter escrito o final de The Mist que vimos nas telonas, mas com certeza ele gostaria de ter feito isso. A adaptação do conto de terror escrito por King, dirigida por Frank Darabont, recebeu muitos elogios, mas também gerou controvérsias entre os fãs devido à sua conclusão surpreendente.

No final do filme, os protagonistas estão presos em um supermercado enquanto uma terrível neblina sobrenatural envolve a cidade. A tensão aumenta à medida que eles são confrontados por criaturas monstruosas que habitam a neblina. No entanto, o que realmente surpreendeu o público foi o desfecho inesperado, no qual o personagem interpretado por Thomas Jane, David Drayton, sucumbe ao desespero e decide matar todos os sobreviventes, incluindo seu próprio filho, para poupar-lhes um destino pior nas garras das criaturas.

Essa reviravolta chocante dividiu a opinião dos espectadores e, até mesmo, do próprio Stephen King. O autor já havia expressado seu arrependimento sobre o final original de seu conto, admitindo que ele não tinha dado uma conclusão tão impactante como a vista na adaptação cinematográfica. King afirmou que a série de TV baseada no mesmo conto corrigiu esse erro, mas ainda assim, ele sente uma ponta de inveja pelo final marcante do filme.

O final de The Mist provocou um debate acalorado entre os fãs, com algumas pessoas adorando a coragem de Darabont em apresentar um desfecho tão perturbador, enquanto outros criticavam a decisão por ser excessivamente sombria e sem esperança. No entanto, não se pode negar que o final do filme tenha causado um impacto duradouro na mente do público.

Leia Agora  Nova chefe Braun tem relação amor-ódio com equipe do ‘Alerta: Unidade de Pessoas Desaparecidas’ (VÍDEO)

Como um mestre do terror, Stephen King sempre soube cativar e provocar sentimentos intensos nos leitores e espectadores. Embora ele não tenha escrito o final de The Mist que vimos no cinema, a sua admiração pela escolha de Darabont evidencia o quão importante é um final impactante para a narrativa de um filme.

No final das contas, a controvérsia em torno do final de The Mist apenas ressalta a habilidade de Stephen King em criar histórias memoráveis e deixar um impacto duradouro na mente de seus fãs. Mesmo que ele sinta um pouco de inveja pelo final surpreendente do filme, é inegável que ele continua sendo uma das maiores influências no gênero do terror e seus contos continuam a inspirar e assustar as pessoas ao redor do mundo.

Então, embora não tenha sido ele quem escreveu o final de The Mist que amamos ou odiamos, Stephen King certamente deixou seu impacto nessa história e em muitas outras obras de terror mundialmente aclamadas.