Pular para o conteúdo

O Filme “Amaldiçoado” que Arruinou a Carreira de William Shatner como Ator Sério

O Filme "Amaldiçoado" que Arruinou a Carreira de William Shatner como Ator Sério
Avalie este artigo

William Shatner poderia ter tido uma imagem pública muito diferente nos dias de hoje se não fosse por este filme de arte cômico e ruim dos anos 60.

William Shatner é o rosto da ficção científica para muitas gerações de fãs de TV e cinema. Desde seus papéis incrivelmente exagerados em “A Ira de Khan” e videogames até seus projetos paralelos promovendo projetos apaixonantes e obscuros como diretor, e qualquer coisa que seja “TekWar”, ele permeou completamente todas as formas de mídia. Olhando para trás agora, é difícil lembrar – impossível se você tem menos de sessenta anos – que o Capitão Kirk foi praticamente declarado o próximo Marlon Brando por Ed Sullivan, que apresentou o “brilhante e jovem astro canadense” ao público em 1958 por seu trabalho na Broadway.

Mas, apesar de sua aclamação inicial, a carreira de Shatner como ator sério poderia ter sido diferente se não fosse por um filme em particular: “Incubus”, um filme de arte de 1966. Este filme obscuro, dirigido por Leslie Stevens, foi completamente filmado em uma língua artificial chamada ‘Esperanto’, criada com base em várias línguas europeias. A trama do filme segue um demônio que seduz os personagens em busca de almas impuras. Embora pareça interessante e único em teoria, o resultado final deixou muito a desejar.

“Incubus” foi uma experiência tumultuada para Shatner. Ele estava inseguro sobre a língua Esperanto, já que não a dominava fluentemente, o que acabou se mostrando um desafio na hora de entregar suas falas com naturalidade. Além disso, o próprio filme foi atormentado por problemas de produção e dificuldades técnicas, resultando em uma obra final bastante confusa e de qualidade duvidosa.

Leia Agora  Vencedor impressiona fãs do 'Jeopardy!' com vitória sem Aposta do Dia

O lançamento de “Incubus” foi um fiasco. O filme foi ridicularizado pela crítica e ignorado pelo público, o que fez com que Shatner fosse rotulado como o ator de um filme fracassado. Sua imagem como um ator sério ruiu, e ele teve que redefinir sua carreira em outros gêneros, como ficção científica e comédia, para se reconectar com o público e se distanciar do fracasso de “Incubus”.

Felizmente para Shatner, sua decisão de abraçar a ficção científica se mostrou bem-sucedida. Seu papel icônico como Capitão Kirk em “Star Trek” revitalizou sua carreira e o tornou um ícone da cultura pop. Ele se tornou conhecido por seus maneirismos exagerados e entrega teatral, o que trouxe um charme único aos seus personagens. Sua carreira continuou a prosperar, com inúmeras aparições em outros projetos de ficção científica, incluindo “Star Trek: The Next Generation” e “The Twilight Zone”.

Embora “Incubus” tenha sido um fracasso em sua época, ele não definiu a carreira de William Shatner como um ator sério. Em vez disso, foi um obstáculo que ele superou com sucesso, abrindo caminho para uma carreira duradoura e uma imagem pública única. Portanto, é seguro dizer que, embora “Incubus” possa ter frustrado as ambições de Shatner como um ator sério, ele acabou encontrando seu nicho na ficção científica e se tornando um ícone amado por fãs de todo o mundo.