/CRÍTICA | Divertido e imprevisível, ‘A Noite do Jogo’ é uma boa mistura de ação e comédia

CRÍTICA | Divertido e imprevisível, ‘A Noite do Jogo’ é uma boa mistura de ação e comédia

Compartilhe

Quantas estrelas merece esse texto?

Chega aos cinemas brasileiros nessa Quinta (10) “A Noite do Jogo“, a mais nova comédia produzida pela New Line Cinema e distribuída pela Warner Bros Pictures. Nesse texto, vou apresentar sem dar spoilers o que funciona aqui e que torna o filme em uma comédia divertida e imprevisível.

Max (Jason Bateman) e Annie (Rachel McAdams) são um casal que se reúnem com outros casais para organizarem uma noite de jogos, que vão desde um jogo simples de adivinhação, jenga até algo mais complexo. Até que o irmão de Max, Brooks (Kyle Chandler) aparece bolando uma noite de jogo inesquecível, só que ele acaba sendo sequestrado enquanto todos acham que isso faz parte do jogo e começam a bolar maneiras de encontrá-lo, com o destino da história ficando cada vez mais inesperado.

O filme tem a direção conjunta de John Francis Daley e Jonathan Goldstein, este é apenas o segundo filme deles, mas eles que são velhos conhecidos pelos seus roteiros, sendo o último deles de “Homem-Aranha: De Volta ao Lar“, e além disso, já foram anunciados como diretores do filme “Flashpoint“. Aqui, eles nos entregam um total controle do que estão fazendo, principalmente na questão do tom que jamais se leva a sério, quanto nas cenas de ação que fluem muito bem.

A fotografia é uma bela surpresa aqui, há uns giros de câmera abruptos se movendo junto com os objetos em destaque, um desfoque nas tomadas aéreas que me incomodou de início por deixar os cenários parecidos com maquete, mas depois eu entendi que aquilo é uma brincadeira pra mostrar que os personagens se encontram dentro de um jogo, e tem um plano-sequência bem realizado, apesar de percebermos os truques para mascarar os cortes. A trilha sonora também funciona bem, o filme começa e termina ao som de Queen.

Inclusive, “A Noite do Jogo” nos trás inúmeras referências a outras obras e outros artistas, sejam elas direta ou indiretamente. Algumas são bem legais de se ver, e outras nem tanto, pois ficam gratuitas demais.

O elenco é bastante carismático, mesmo com personagens bem caricatos é legal vê-los em cena. Rachel McAdams, Jason Bateman, Kyle Chandler, Jesse Plemons e Billy Magnussen são alguns dos nomes que se destacam em meio aos outros.

Entretanto, o filme não é perfeito. O roteiro é repleto de plost twists que deixam alguns furos na história pelo caminho, os dois primeiros atos sofrem um pouco mais com isso. E além disso, tem muito exagero, com situações absurdas que inexplicavelmente funcionam, tem que desligar bastante do senso lógico para comprar as ideias, pois se você não fizer isso, sua experiência com o filme deve decair bastante. Mas o bom é que quando a gente acha que já descobriu o caminho que a história está nos levando, pensando que vai ver os mesmos clichês de sempre, ela nos leva pra outro caminho completamente diferente, e faz isso por mais de uma vez.

“A Noite do Jogo” é um filme que pode desagradar quem espera um grande roteiro, mas ainda assim, é uma ótima pedida se você tiver um pouco mais de tolerância para os exageros, pois ele diverte e conta com uma ótima ação que deve agradar a maioria.


Compartilhe

23 anos, estudante de Jornalismo, apaixonado por cinema, séries e esportes