Pular para o conteúdo

Diretor Gareth Edwards acreditava que matar o cachorro seria impactante

Diretor Gareth Edwards acreditava que matar o cachorro seria impactante
Avalie este artigo

O diretor Gareth Edwards realmente queria matar o cachorro em seu filme “The Creator”. No entanto, graças à intervenção de sua namorada, o adorável cãozinho conseguiu sobreviver. A decisão de matar o cachorro era algo que o diretor estava considerando, mas sua namorada conseguiu convencê-lo do contrário.

Muitas vezes, nos filmes, vemos personagens caninos em perigo ou até mesmo sendo mortos para criar tensão e emoção. No entanto, às vezes, os espectadores ficam muito apegados a esses personagens e ficam tristes com sua morte. Felizmente, nesse caso, a namorada de Gareth Edwards interveio e garantiu que o cãozinho não sofresse esse destino trágico.

A importância de preservar a vida do cachorro em “The Creator” está na conexão emocional que os espectadores podem ter com esse animal de estimação. Os cães muitas vezes são considerados os melhores amigos do homem e têm a capacidade de tocar nossos corações de maneiras especiais. A presença do cachorro no filme pode trazer um toque de inocência e ternura à história, além de criar um vínculo entre os personagens e o público.

Preservar a vida do cachorro pode ser uma decisão difícil para um diretor, pois ele pode pensar em como isso irá afetar a narrativa e o desenvolvimento dos personagens. No entanto, no caso de “The Creator”, a decisão de manter o cachorro vivo permitiu que o filme tivesse uma abordagem mais leve e esperançosa.

É maravilhoso ver que a namorada de Gareth Edwards desempenhou um papel importante na decisão de salvar o cachorro. Isso mostra o quanto o apoio e as opiniões das pessoas ao nosso redor podem influenciar as decisões que tomamos. Além disso, é um lembrete de que devemos sempre considerar o impacto emocional que certas cenas podem ter nos espectadores, especialmente quando envolvem animais de estimação.

Leia Agora  'Monstro do Pântano' ganhará série live-action dirigida por James Wan

No final das contas, “The Creator” pode ser apreciado pelos amantes de cinema e pelos amantes de animais, sabendo que o cachorro adorável não sofreu nas mãos do diretor. A escolha de preservar sua vida trouxe um senso de alegria e alívio para aqueles que assistiram ao filme.

Portanto, devemos agradecer à namorada de Gareth Edwards por ter garantido que o cãozinho em “The Creator” pudesse viver. Sua intervenção permitiu que a história se desenvolvesse de maneira mais positiva e trouxesse uma conexão especial entre os personagens e o público. Às vezes, as pequenas decisões fazem uma grande diferença e, no caso do cachorro em “The Creator”, essa diferença é apreciada por todos os fãs do filme.