Pular para o conteúdo

Barbie transcende a IP corporativa e se torna um filme de Greta Gerwig

Avalie este artigo

A jornada da Barbie chega a um fim emocionante e transcendental quando o filme finalmente se eleva além de uma propriedade intelectual corporativa e se transforma em uma obra de arte genuína de Greta Gerwig. O filme explora a batalha dos sexos, com as Barbies aprendendo a contrariar a tomada patriarcal dos Kens e restaurarem a matriarquia usando táticas existentes desde tempos de guerra. No final, a mensagem é clara: todos têm algo valioso a contribuir e nenhum gênero deve dominar tudo. A Barbie, que passa por uma crise existencial, encontra seu propósito ao se conectar com mulheres de diferentes gerações, compartilhando suas esperanças e sonhos por um mundo melhor. Ao se tornar parte dessa herança feminina, ela finalmente encontra sua humanidade. Greta Gerwig imprime sua marca pessoal no filme, trazendo sua visão única sobre relacionamentos familiares e feminilidade, e isso é o que faz a Barbie transcender as amarras do IP corporativo e se tornar uma verdadeira obra de Gerwig.

Leia Agora  O novo romance coreano da Netflix liderou as paradas nesta semana.